Por que é tão complicado?

Por que algumas pessoas ainda menosprezam tanto a importância dos processos?
E por que, após optarem por valorizar estas “pequenas e inocentes” peças do tabuleiro, se espantam com sua complexidade?

Após as recentes crises financeiras, grande parte das empresas percebeu a importância em possuir um gerenciamento de processos estável.
Começaram a montar equipes com total foco neste ponto, e algumas com total foco em começar este ponto do zero.
Inteligentes são aquelas que não subestimaram a complexidade desta tarefa e terceirizaram o serviço para empresas e consultorias especializadas.
Mas algumas não pensaram desta forma.

É então logo no primeiro momento deste possivelmente falho primoroso projeto, na descoberta de processos (vocês encontrarão referências por Business process discovery, não vamos abreviar como BPD para não gerar confusão com Business Process Diagram), que nossos queridos processos começam sua tão esperada vingança e mostram suas garras.

A empresa pensa que conhece seus processos e sabe como funcionam, afinal é exatamente isso que deveria acontecer. Mas não é o caso na prática.
Isto é o que ela pensa ter claramente definido:

processo_ideal

Mas é isto que ela tem na verdade:

Continuar lendo